Coordenador do ENEM é a favor do Escola com Mordaça

Na última sexta, (04), foi anunciado por indicação do ministro da educação, Ricardo Vélez Rodrigues, com apoio do presidente Jair Bolsonaro, o nome de Murilo Resende Ferreira para chefiar a Diretoria de Avaliação do Ensino Básico (DAEB), órgão que compões o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Este ano, a tradicional prova do ENEM estará sob sua supervisão.

A trajetória política de Resende registra uma passagem pelo Movimento Brasil Livre em Goiás, no qual foi expulso, segundo o mesmo, por “divergências insanáveis”. Segundo Renan Santos, um dos líderes do MBL, o atual coordenador do ENEM é um “maluco completo(…) lunático, conspiratório, fora da realidade”, adjetivou Renan em sua conta no twitter. Academicamente, Resende possui currículo com graduação em Administração pela FGV, onde também cursou seu doutorado. Apesar da aparente capacidade técnica adquirida por seus anos de cátedra, Resende não possui experiência em gestão, compensando essa falta com críticas infundadas à carreira docente, se dirigindo aos professores como “manipuladores e gente que não quer estudar” (https://www.youtube.com/watch?v=ooKhQM4AbpY). Estas ofensas foram proferidas em uma audiência realizada em 2016, no Ministério Público de Goiás, em 2016. Na ocasião, o novo coordenador ainda disse que os professores “pregam o aborto, o incesto e a pedofilia”.

Aparelhamento da máquina pública

Com a indicação de Resende, a nova administração do MEC confirma a tendência para a camaradagem de indicações a cargos públicos. Ricardo Vélez Rodrigues escolheu ex-alunos de seus programas para vagas importantes dentro no ministério. Vale ressaltar que nenhum dos indicados até agora detém experiência real em gestão em educação, preocupando especialistas da área. O extermínio do alegado marxismo cultural nas escolas, confirmado pelas falas das novas chefias do MEC, revela que o interesse maior dessa administração está antes para a caça a moinhos de vento do que a responsabilidade real com a qualidade do ensino brasileiro.

 

Fonte: ANDES-SN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *