Nota sobre as aulas presenciais no Campus Iguatu – URCA

O SINDURCA foi informado esta semana que a URCA deu sequência ao plano de retorno às aulas presenciais na Unidade Descentralizada de Iguatu, Campus Institucional Humberto Teixeira. O retorno foi autorizado pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) para a conclusão do semestre.

Em redes sociais, foram publicadas fotos mostrando os cuidados sanitários da instituição a fim de evitar a contaminação pela Covid-19. Gostaríamos de expressar que, apesar de legalmente autorizado, o retorno presencial, neste momento, é um equívoco ao arriscar a vida da comunidade universitária.

Temos acompanhado nos meios de comunicação o aumento de novos casos da Covid-19 em todo o Brasil e também no Estado do Ceará desde o final do ano passado. São mais de 200 mil vidas perdidas na pandemia até o momento. Ontem, 7, segundo o Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), foi registrado mais de 1.800 mortes em 24h, um novo recorde desesperador. No Ceará, são mais de 10 mil pessoas mortas até o momento.

Ao mesmo tempo, o governo Bolsonaro brinca com nossas perdas e lança dúvidas sobre a pandemia. Não contente, atrasa a vacinação já disponível no mundo. Assistimos vários países já em início da campanha, enquanto isso, o Brasil vive uma incerteza sobre quando teremos a vacina tão necessária à toda população. Junto a isso temos uma desigualdade socioeconômica crescendo no país, onde que o corpo discente e sua família adentra, inclusive não tendo acesso ao ensino remoto emergencial que está em vigor, levando a comprometer sua permanência na universidade.

Diante disso, perguntamos a Reitoria da URCA: Vale a pena arriscar nossas vidas? Como fica o risco dos discentes no deslocamento até a instituição, especialmente os que moram mais distante? Vale a pena provocar mais desigualdade com gastos para famílias que foram afetadas pela crise pandêmica? Quando o corpo discente receberá os chips e tablets? A Reitoria parece dialogar com todos os órgãos responsáveis, mas aparentemente fecha o diálogo com o sindicato representante da categoria docente. O Governo do Estado tem a obrigação, como vem anunciando nas redes sociais, de distribuir equipamentos necessários para as aulas remotas, com chips e tablets, mas queremos saber as datas. E todos nós queremos o retorno presencial das aulas, pois sabemos do aumento da desigualdade educacional provocado pelo ensino remoto, mas tudo tem seu devido tempo: e este só com a vacina.

SINDURCA
08 de janeiro de 2021

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *